quinta-feira, 7 de julho de 2011

Quintessence - Quintessence (1971) [U.K]



Os loucos anos do final da década de 1960 viram surgir vários grupos que misturavam o psicodelismo do período com outros gêneros musicais como, por exemplo, o progressivo e o folk rock. Um desstes grupos que chamou bastante atenção tendo feito relativo sucesso por criar uma música climática que misturava tudo isso e ainda trazia elementos de música indiana foi o Quintessence. Criado em Notthin Hill pelos músicos Raja Jam e Shiva Shankar, o grupo gravou alguns belos discos com destaque para este terceiro título chamado Self e lançado em 1972 pelo selo RCA. Se os dois primeiros, lançados pelo selo Island, já eram de ótima qualidade, foi neste que o grupo atingiu seu ápice criando belas canções aliadas a arranjos inspirados. O disco, ao longo dos anos, se tornou mais uma raridade sendo bastante procurado por colecionadores do mundo do rock and roll e, quando encontrado, geralmente é vendido por preços pouco convidativos. O disco se divide em dois lados bem distintos, sendo que o primeiro lado foi gravado em estúdio, mas precisamente no Olympic Studios, e o segundo é composto por duas longas faixas e foi gravado ao vivo em Exeter University em 11 de dezembro de 1971. A primeira faixa é Cosmic Surfer e aqui o grupo apresenta um bonito trabalho, cuja alegre melodia é envolta num trabalho de fl auta por Raja Jam e com um gostoso refrão mostrando que o disco realmente é dos mais interessantes. Wonders of Universe mostra uma letra simples e que evoca a DEUS nesta balada que mantém o álbum em alta. VishnuNarain é um pop rock cujo acompanhamento de flauta e guitarras se destacam bastante. Hallelujad é mais outra interessante música. Como um mantra, possui uma proximidade entre o rock progressivo da época como algo próximo do religioso. Sem dúvida, é tema bem interessante e cuja interpretação demonstra entrega, garra e sinceridade. O clima sacro atinge o ápice em Celestial Procession e finaliza o lado A com Self. Já o lado B, gravado ao vivo, traz um clima diferente. Aqui o espírito rock and roll fica mais evidente. Com bom trabalho de percussão e um belo solo de guitarra, mostra o quão interessante era o grupo. Self termina com a faixa Water Goddess, uma longa canção com notória influência do rock progressivo. Sem dúvida, um final excelente para este álbum. O disco chegou a alcançar o 50º posto nas paradas inglesas, posição de destaque e que ainda propiciou ao grupo lançar um novo álbum em 1973 intitulado Indweller, mas já sem a mesma beleza e qualidade deste Self. A banda ficou muito conhecida por criar uma música com teor espiritual e pelo clima de sua música é possível associá-la à new age, surgida alguns anos depois. Poucas vezes o rock and roll se uniu com a música indiana de forma tão arrebatadora. O Quintessence se tornou mais uma daquelas bandas míticas do cenário da época, valendo ainda muito a pena ter acesso a este belo e recomendável disco.

Fonte: Livro - Rock Raro - O Maravilhoso e deconhecido mundo do rock

1.Cosmic Surfer (3:50)
2.Wonders of the Universe (3:29)
3.Hari Om (0:46)
4.Vishnu-Narain (6:27)
5.Hallelujad (4:16)
6.Celestial Procession (1:22)
7.Self (3:07)
8.Freedom (6:45)
9.Water Goddess (14:24)

Download: http://www.megaupload.com/?d=OCUXC4VL

Um comentário:

  1. Pode atualizar o link?
    Belo trabalho, seu blog é muito bacana.
    Estou aprendendo bastante aqui.
    Obrigado, Fox

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...