quarta-feira, 4 de maio de 2011

Waterloo – First Battle (1970) [Belgium]



Um dos grandes clássicos do rock belga e que surpreende pela criatividade, originalidade e qualidade das músicas e forma com que os músicos as executam. O disco estava praticamente condenado ao esquecimento quando em 1999 as gravações originais foram recuperadas, já que a fita master original havia sido perdida, trazendo de volta este bom álbum. O relançamento conta com doze canções do disco original e ainda mais seis faixas que não foram incluídas no disco original lançado em 1970. Começa com Meet Again, uma deliciosa melodia tí pica dos anos 1960, com belo refrão enquanto que a próxima, Why May I Not Know, é executada de forma fantástica, sendo basicamente uma mistura de Jethro Tull com um pouco de Raw Material, principalmente na flauta tocada por Dick Bogaert com coisas mais psicodélicas no final daquela década anterior. A quarta música, Black Born Children é um progressivo com passagens psicodélicas que lembra muito o grupo brasileiro Os Mutantes, tanto pelos arranjos vocais, instrumentais e também pela melodia. Influências clássicas são também percebidas, como na faixa Life, mistura de hard rock, progressivo na linha Emerson, Lake and Palmer. Por essas e outras, é fácil perceber que os músicos tinham educação clássica e estavam bastante influenciados pelo rock que estava sendo feito em países como Estados Unidos e Inglaterra naquele ano de 1970. Por incrível que pareça, a faixa Problems lembra Arnaldo Baptista em momentos de discos como Loki de 1974. As faixas são curtas, exceto para a longa Diary of An Old Man que, com seus onze minutos, se torna um ótimo momento do disco. O que mais impressiona no disco é a capacidade da banda em fazer ótimos arranjos, não mirando em algum gênero específico. A banda passeava pelo hard rock, progressivo, blues, jazz, beat, pop, sempre recheado de passagens clássicas. Vale destacar também a música Plastic Mind, rock mais melódico, mistura de Beatles, Love, Beach Boys, faixa extremamente criativa, seja pelo trabalho instrumental, seja pela rica melodia. Smile, lançada em single em 1970 é um bonita balada. A banda teve uma duração efêmera, gravando apenas este disco e realizando uma pequena excursão, inclusive abrindo shows para o Family.

Fonte: Rock Raro - O Maravilhoso e deconhecido mundo do rock

1.Meet Again (3:05)
2.Why May I Not Know (3:09)
3.Tumblin' Jack (2:36)
4.Black Born Children (3:45)
5.Life (2:49)
6.Problems (3:02)
7.Why Don't You Follow Me (3:33)
8.Guy in the Neighbourhood (2:57)
9.Lonesome Road (2:51)
10.Diary of an Old Man (11:01)

Download: http://www.megaupload.com/?d=JHQX3YCH

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...