terça-feira, 3 de maio de 2011

The Old Man & The Sea - The Old Man & The Sea (1972) [Denmark]



A Dinamarca certamente não produziu tantas bandas durante os anos de 1970, sendo que este The Old Man & The Sea pode ser considerado como um dos melhores do país ao lado de Litt le Red Ivanhoe, Hurdy Gurdy, entre outros. A banda chegou a fazer relati vo sucesso em seu país inclusive abrindo shows para o Led Zeppelin na passagem da banda pela Dinamarca e mais tarde para o Jethro Tull. Se o som da banda era muito bom não podemos dizer o mesmo da capa do disco, pois a mesma, digamos, que não ajuda muito. Se fosse comprar o disco por ela, é provável que pensaríamos duas vezes, mas não se engane, pois o material é óti mo. A banda produziu um interessante disco de rock progressivo homônimo em 1972 e lançado pelo selo Sonet. O disco e banda de nome ti rado do clássico escritor Ernest Hemingway abre com Living Dead, trabalho interessante de teclados e principalmente numa linha de baixo que chama a atenção. Não era exatamente um progressivo tradicional, passeando por momentos entre algo mais pop rock principalmente na voz do cantor Knud Lindnard. Se não é um clássico, também não pode ser desprezado e a música já se apresenta como um belo início. Se ouvido com a atenção podemos observar que o ti mbre da voz do cantor lembra um pouco Jon Anderson do Yes, pelo menos nas partes mais agudas. O grupo, apesar de estar mais próximo do rock progressivo, chega a lembrar de leve alguns momentos do Traffi c, Atomic Rooster e até Jethro Tull nos momentos mais pesados da banda escocesa. Princess traz o mesmo modelo da faixa anterior, um bom instrumental, sendo
uma boa balada com solo de guitarra, belo refrão e duas vozes dando um toque especial à faixa. The Monk Song, dividida em duas partes, é outra boa canção. Aqui temos momentos, principalmente nos trabalhos vocais que nos remetem à infl uência da banda CSN&Y e mostra que a banda sabia também variar, não fi cando presa apenas na praia progressiva. Jingoism é uma canção interessante. A melodia conduzida pelo teclado de Hasten mostra uma banda equilibrada. O trabalho solo do guitarrista Stanley aliado à uma boa base de bateria e baixo também mostra a qualidade deste grupo. Já a faixa Prelude é uma boa balada que completa o disco mantendo o nível elevado. Um momento mais calmo do álbum. Aqui os teclados Hammond novamente brilham além do trabalho realizado em duas vozes e de rara beleza. O disco fecha com Going Blind, datada, arranjo bem suti l com belo acompanhamento do teclado e fl auta em alguns momentos da música. No geral, é um disco curto e efi ciente, exatamente como poderiam ser vários discos de rock em geral. Ao todo são sete faixas que mantém o pique e qualidade num alto nível. A banda jamais gravou outro disco tendo o relançamento deste álbum em formato digital anos atrás numa edição bem simplesinha. Atualmente o disco é uma verdadeira raridade entre os colecionadores, custando uma grana preta quando encontrado em seu formato original.

1.Living Dead (7:51)
2.Princess (6:02)
3.Jingoism (6:54)
4.Prelude (1:12)
5.The Monk Song 1 (5:54)
6.The Monk Song 2 (3:36)
7.Going Blind (10:31)

Download: http://www.megaupload.com/?d=IREWFM51

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...