quinta-feira, 7 de abril de 2011

Le Orme - Contrappunti (1974) [Italy]



Um dos expoentes da geração setentista do progressivo sinfônico italiano, o Le Orme teve seu apogeu criativo entre 72 e 74 , quando lançou a trinca de albums que solidificaram sua fama :“Uomo di Pezza”, o monumental “Felona e Sorona”(tambem já postado aqui e este “Contrappunti” onde a banda contou com a participação no pianoforte do produtor e arranjador Reverberi .
Obviamente o tipo de formação teclados , baixo , bateria inspira analogias com o ELP. No entanto o grupo sempre manteve uma personalidade bastante singular , valorizando profundamente as melodias e optando muitas vezes por formatos mais compactos para suas composições ( em toda discografia clássica do grupo as maiores músicas não chegam aos 9 minutos ). Até nas baladas acústicas , onde mais uma vez se poderia tentar encontrar ecos das indefectíveis baladas de Lake , os chorosos vocais em italiano de Tagliapietra acabam por afugentar maiores aproximações.
Em Contrappunti, evidentemente, os teclados de Pagliuca (auxiliado pelo piano de Reverbieri) dão o tom. Óbvio: Como ocorre aliás nos discos anteriores, não temos a guitarra solista para dividir a execução da maioria dos solos e das melodias , logo os teclados podem deitar e rolar. Tagliapietra e principalmente Dei Rossi quando solicitados cumprem seu papel com extrema competência, mas os momentos chave do disco passam pelos mãos de Pagliuca . É claro que isto confere a ele maior responsabilidade. Se o disco for um desastre já sabemos quem é o principal culpado.
Mas não é necessário ter esse tipo e preocupação: A confecção dos arranjos , melodias e solos foi muito bem sucedida em Contrappunti. Mais sereno e calmo do que o explosivo Felona e Sorona, o álbum tem 4 destaques:
Contrappunti, piano e teclados interagem no primeiro minuto, depois o restante da banda entra a todo vapor, com momento virtuosístico de Pagliuca. Este, a partir dos 2min50s executa sozinho algumas sonoridades fúnebres, e no final retorna, com variações, a melodia inicial , desta vez com o apoio do baixo e da bateria.
Aliante, baixo e bateria executam base nervosa, contrapondo-se às intervenções solenes e “tranquilizadoras” do teclado.
Notturno praticamente sozinhos, teclados e piano transitam por melodias sombrias à passo moroso, sem arroubos virtuosísticos.
Maggio, grande perfomance de toda a banda na introdução. Depois os vocais chorosos de Tagliapietra (melhor momento dele no disco), secundado por sinuosa linha de baixo, são intercalados pelas intervenções dos teclados, executando a cativante e majestosa melodia principal e sua variação, até mais interessante (além de um solo bizarro).

1.Contrappunti (5:56)
2.Frutto acerbo (3:35)
3.Aliante (3:20)
4.India (3:13)
5.La fabbricante d'angeli (4:47)
6.Notturno (3:51)
7.Maggio (8:51)

Download: http://www.megaupload.com/?d=JNPPGVD5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...