sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Saecula Saeculorum - Saecula Saeculorum (1973) [Brazil]



Obscuro mas excelente trabalho desta banda mineira que possuia em sua formação o consagrado Marcus Viana. trata-se de rock progressivo (com ênfase ao som instrumental) da mais alta qualidade a despeito da notoriedade da banda. O som de muita personalidade onde é fácil perceber a competência de todos os músicos além é claro das músicas serem muito bem feitas e de muita inpiração. O disco é bem consistente não contendo nenhuam música ruim, é realmente triste que este disco não seja devidamente conhecido dos apreciadores do progressivo porque como está escrito no encarte do cd "o Saecula foi como ouro debaixo da terra por 20 anos".

1.Saecula Saeculorum
2.Acqua Vitae
3.Eu Quero Ver o Sol
4.Constelação de Aquarius
5.Rádio no Peito

Download: http://www.megaupload.com/?d=LDYS788J

Nice - Thoughts of Emerlist Davjack (1967) [U.K]



Nos anos 60, o Nice foi uma das bandas mais obscuras para os EUA, só que na Europa, durante seu curto tempo de existência, obteve um relativo sucesso com alguns discos atingindo o TOP 10 Britânico. Liderado por um rapaz ainda jovem, mas já virtuoso tecladista, Keith Emerson que na década seguinte junto ao Emerson, Lake and Palmer faria história dentro do gênero progressivo, ele já se destacava com equipamentos mais modestos, como o seu fiel órgão Hammond. The Nice foram responsáveis por performances incendiarias em locais como London's Royal Albert Hall, entre outros, alem de ter méritos como os percussores da fusão classico-rock. Somente um certo tempo depois, quando Emerson ouviu "Switched on Bach" de Walter Carlos passou a fazer experimentos com um sintetizador modular imenso e de difícil manuseio que era uma atração a parte. Era o famoso sintetizador Moog, inventado pelo Dr. Robert Moog. Uma revolução na linha dos instrumentos de tecla, já que ele podia reproduzir diversos instrumentos e ainda por distorção nos sons, coisa que interessava e muito a Keith.
O disco de estréia do The Nice não teve aquela repercussão grandiosa de outros grupos da época, e fora isso tem o fato de que ouvindo o disco, nota-se um certo nervosismo dos músicos criado talvez pela falta de experiência em estúdio. Mas seu trabalho foi aos poucos lapidado em shows, o que fez com que a qualidade e a preocupação com a melhoria do seu som fosse aos poucos ganhando um aspecto cada vez mais grandioso e às vezes eloqüente. Porem a preocupação extra com os arranjos quase sinfônicos já mostrava que havia ali algo do pré-rock progressivo que já estava germinando, e logo criaria suas asas. O que se ouve no trabalho da banda nessa época, é ainda a forte influencia de Beatles que esta presente nas harmonias vocais e nos arranjos Alá George Martin fase Magical Mistery Tour. Elementos psicodélicos, com influencia erudita parecia ser a formula encontrada para moldar o estilo do grupo, cujo destaque óbvio, era o jovem virtuoso Keith Emerson, que já mostrava uma técnica superlapidada, a base de Bach, Jerry Lee Lewis, Mozart e Little Richards. Há quem diga que se não houve-se Keith Emerson no Nice, a banda seria uma cópia fiel da banda Small Faces.
Os elementos psicodélicos do disco, pareciam ser uma influencia clara de Hendrix, como se Keith quise-se iguala-lo em seu instrumento. Na faixa “Bonnie K” há vários excessos nos instrumentos, como quem quer provar que ali há virtuosos, e em “Rondo” é a onde isso fica mais evidente, nos licks super rápidos de Emerson. É como se houvesse mesmo uma competição quase maníaca para compensar um vocal limitado e sem muitas inspirações. O destaque fica por conta da faixa instrumental “América” clássico patriota de Leonard Bernstein e reagravado por centenas de artistas, musica que só consta na versão do album com bônus. Essa musica inclusive seria melhor regravada por Emerson no disco ao vivo do Emerson, Lake and Palmer chamado “Now and Then” . A Audição do disco é interessante para percebemos como a história da valorização instrumental no rock foi ganhando importancia de maneira relativa ao longo dos anos, e tambem para mostrar que antes que aparece-se bandas como King Crimson, já havia uma intenção de inovar com uma nova sonoridade.

1.Flower King of Flies - 3:19
2.Thoughts of Emerlist Davjack - 2:49
3.Bonnie K - 3:24
4.Rondo [instrumental] - 8:22
5.War and Peace [instrumental] - 5:13
6.Tantalising Maggie - 4:35
7.Dawn - 5:17
8.The Cry of Eugene - 4:36

Download: http://www.megaupload.com/?d=5YOXQ9Y5

Anthony Phillips - The Geeze And The Ghost (1977) [U.K]



Este é o album solo de estreia daquele que foi o primeiro guitarrista do Genesis, presente nos dois primeiros terabalhos da banda. Coproduzido e gravado com a participação de Mike Rutherford e Phil Collins, sua sonoridade se aproxima muito da então "primeira fase do Genesis" quando ouviamos melodias tocadas com a base de um violão de 12 cordas. Varias partes deste disco são peças compostas para um duo de guitarras acústicas de 6 e 12 acrescidas de um mini orquestra com cello, oboé, strings e o instrumento favorito dele, o Mellotron. É muito interessante porque a impressão é que voltamos no tempo e estamos ouvindo Genesis daquela época. Esta obra é predominantemente instrumental mas Collins canta em Which Way the Wind Blows e God if Saw Her Now e você fatalmente pode vir a pensar pensa: Que musica do Genesis é essa que eu ainda não tinha ouvido?
A entrada de Henry : Potraits from Tudor Times ira remete-lo ao Trespass..
As músicas Collections e Sleepfall, resumem a essencia deste álbum progressivo belíssimo e perfeito pra você escutar com tempo e sossego. Ele não foi feito pra escutar no carro ou fazendo qualquer outra coisa.
Um aspecto deve ser comentado de Phillips e consiste na extrema sensibilidade com que compõe. O album irá te trazer um agradável e intensa sensação de calma e paz de espirito. Em geral, os primeiro trabalhos de um artista ou banda acabam sendo superados por um busca de evolução e aperfeiçoamento que acabam ocorrendo naturalamente. Entretanto, em minha opinião e como exceção, este primeiro tarabalho de Anthony, não foi superado por nenhum de seus 22 trabalhos subsequentes, excetuando as coletaneas e os discos ao vivo. Até mesmo a sua capa merece um destaque pela beleza.
Album mais do que recomendado.

1. Wind - Tales
2. Which Way The Wind Blows
3. Henry: Portraits From Tudor Times:
I Fanfare
II Lutes' Chorus
III Misty Battlements
IV Henry Goes To War
V Death Of A Knight
VI Triumphant Return
4. God If I Saw Her Now
5. Chinese Mushroom Cloud
6. The Geese & The Ghost, Part 1
7. The Geese & The Ghost, Part 2
8. Collections
9. Sleepfall: The Geese Fly West
10. Master Of Time (Demo)

Download: http://rapidshare.com/files/64460961/Anthony_Phillips_-_1977_The_Geese_The_Ghost.rar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...