quarta-feira, 28 de julho de 2010

Jumbo - Vietato Ai Minori di 18 Anni? (1973) [Italy]




Disco maravilhoso e original lançado no plorifero ano de 1973 (ano de surgimento de discos maravilhosos no prog Mundial). O disco tem uma característica bem peculiar com um vocalista de timbre bem áspero e instrumentais bem variados hora bem suaves hora pesadíssimos e rápidos
bem ao estilo do Semiramis, Museo Rosenbach e Osanna (mais pendendo para esse último). Destaques para "Specchio", "Como Vorrei essere Uguale a te", "Via Larga" e "Vangelo", principalmente a primeira citada, uma verdadeira aula de progressivo. Um disco empolgante do primeiro ao último segundo com passagens fenomenais principalmente de guitarra e flautas. Mais uma jóia rara do prog Italiano, tenho e recomendo muito.

1-Specchio - 7:22
2-Come Vorrei Essere Uguale a te - 6:45
3-Il Ritorno del Signor K.-2:00
4-Via Larga - 5:45
5-Gil - 7:12
6-Vangelo? - 5:39
7-40 Gradi - 6:41
8-No ! - 2:20

Download: http://www.4shared.com/file/90143139/31efc285/Jumbo_-_Vietato_Ai_Minori_Di_18_Anni.html

terça-feira, 27 de julho de 2010

Dr. Dopojam – Entree (1973) [Denmark]



Excelente banda holandesa, formada em 68, liderada por Kristian Pommer e que lançou apenas dois albums na época, ambos excelentes.
Altamente influenciados por Frank Zappa & the Mothers of Invention, Gong e David Allen, Magma e até Jethro Tull, além de elementos de psicodelia, o Dr. Dopojam consegue criar um progressivo de vanguarda altamente recomendado para qualquer fã das bandas e/ou estilos anteriormente citados.
Os arranjos são deveras complexos e a princípio podem soar incômodos para os ainda não iniciados no estilo Zappa de ser e tocar. Os vocais são cantados em inglês e, por incrível que pareça, apresentam pouco ou nenhum sotaque. Os destaques individuais ficam com a liderança de Pommer, guitarrista versátil e de bom gosto, além do naipe de metais - muito preciso e melódico, conseguindo passear pelo free jazz e pela bossa nova como se fosse algo realmente "comum". O Baterista Bent Clausen dá um show a parte cada vez que toca vibrafone, nas dezenas de passagens complexas que norteiam o album Entree, remetendo, obviamente, a fase do Mothers com Ruth Underwood. Entree é recheado de ironia e passagens que oscilam do virtuosismo vanguardista ao bucolismo medieval, sendo também muitas vezes bizarro, como ainda será citado. Deliciosos trechos flautísticos reiteram a mensagem de que a banda quer sim carimbar o album com um acento jazzístico contemporâneo. E consegue.
A primeira faixa, bastante extensa, se iniciando com fragmentos Zappa-like em escalas e em tempo complexos e bem marcados, reforçados pelo naipe de metais grandioso, é bastante divertida, e agrada imediatamente os fãs do estilo. As harmonias em tom maior que caem em tons menores assustadores remetem a Magma, mas os vocais "performáticos" de Bisgaard (que brinca com falsetes operísticos, graves e gritos rasgados) resgatam o ouvinte para o início de cada trecho da faixa. A primeira metade é dominada pelo vanguardismo; uma conexão bastante excitante, com um belo dueto vibrafone e flauta, conecta o ouvinte com a segunda metade, bastante regular, com Bisgaard duetando hora com os metais, hora com a guitarra. A "cozinha", até aqui ainda não citada, é competentíssima, e o timbre de bateria e baixo são bastante setentistas, assim como a qualidade geral da gravação (um viva a tecnologia analógica!). Trechos operísticos permeiam os trechos finais da faixa, um ou outro vocal e percussão latinos são apresentados, criando um quê bizarro que dá um charme especial ao album. Um solo límpido de guitarra sustentado pelo naipe de metais, e mais vibrafone e virtuosismo percussivo encerram a faixa com certa grandiloqüência. Ao final, o flautista Gaarmand evoca Ian Anderson e sublima. Destaques, afinal, para os vocais marcantes e surpreendentes e para a competência do arranjo geral. Memorável e disparada a melhor do álbum.
Friso aqui ser indispensável as comparações com outros artistas para uma melhor compreensão do trabalho.
Samelam-Samelam é um rock Zappa-like típico da fase Waka-Jawaka, onde, pela letra, a banda brinca com o próprio nome e outras divagações. Soa como big-band em muitos trechos, com ótimo trabalho tecladístico.
Entree's tem ritmo funkeado e bastante original, com percussão latina e humor pastelão. Neste ponto a banda me surpreende pela originalidade, quando o arranjo se torna um fusion arrebatador, com belo solo de sax. Spring-Theme-Summer-Theme vem logo na seqüência, com mais um tema típico de Zappa, onde aqui, desta vez, a vedete é o piano elétrico bossa novístico bastante cretino acompanhado pela bateria 60´s cool maravilhosa, onde é impossível ficar parado. Do piano elétrico super bem colocado ao arranjo datado mas muito criativo, um jazz-rock perfeito.
In The Morning não traz uma mensagem especial, com vocais dramáticos e arranjos cinematográficos bobos. Nada realmente atrativo. Zappa se diferenciava por pegar estas características e sublimá-las, o que o Dr. Dopojam, aqui, não consegue.
Desserts:Forest-Flower-Picking-Prelude fecha o album com primor, abrindo com um arranjo quase folclórico imendado em um jazz vanguardista altamente complexo. O compasso é muito similar aos trabalhos do Zappa no Grand Wazzo, onde aqui a flauta é o instrumento da vez, com uma sonoridade impecável. Variações percussivas a acompanham junto a pequenos trechos de sax bizarros e altamente envolventes. Um solo de guitarra bastante virtuoso quebra o ritmo latinizado durante pelo menos 3 minutos, em um trecho altamente recomendado, onde é impossível não lembrar Di Meola e Santana em alguns de seus melhores momentos. Para variar, o final Mothers é anunciado com uma ou outra bizarrice vocal, realmente "inconveniente".
Para quem gosta de se aventurar por jazz rock de vanguarda, Dr. Dopojam é um achado. Entree, tanto pela originalidade como pela qualidade de gravação, merece a audição dos companheiros interessados em progressivo altamente complexo e bem-humorado. Nenhum trecho do album passa por cópia barata de nenhum dos outros artistas citados e, convenhamos, todas as referências são também altamente recomendadas. Dr. Dopojam bebeu na fonte do Zappa. E se embriagou.

1. 1. Opening "Hello"
2. Essentia I, Sanquine
3. Essentia II, Choleric
4. Essentia III, Melancholic
5. Essentia IV, Phlegmatic
6. Quinta Essentia: Vita
7. Ouverture: Absorbia
8. a) Heart-Theme, Solaria
9. b) Brain-Theme, Lunaria
10. c) Liver-Theme, Jupiter
11. d) Kidney-Theme, Venus
12. VI: The Complete Pentagram
total: 25:04

2. Samelam-Samelam 4:10
3. Entree's 3:54
4. Spring-Theme-Summer-Theme 3:55
5. In The Morning 2:01
6. Desserts:Forest-Flower-Picking-Prelude 7:29


Download Parte 1: http://rapidshare.com/files/83465831/Doctor_Dopo.part1.rar

Download Parte 2: http://rapidshare.com/files/83464907/Doctor_Dopo.part2.rar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...