quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Frank Zappa - The Grand Wazoo (1973) [USA]



Obra instrumental jazz-rock que seria a continuação do clássico “Hot Rats” . Desta vez, uma big-band onde o mestre reúne feras como Aynsley Dunbar, Don Preston e George Duke, e assim presenteando os amantes da boa musica com mais um album maravilhoso e que é obrigatório em qualquer lista de discos relacionados ao Jazz Fusion. Quem comprou Hot Rats sem duvida comprou esse também já que o contexto de ambos segue o mesmo padrão, salvo algumas diferenças. É claro que aqui tem tudo para agradar, como riffs de guitarra funk, extensos solos de sax e trumpetes, tudo caminhando harmonicamente na mesma canção, e é por isso que a cada disco como esse, o Fusion se tornava mais empolgante e irritava os puristas que achavam que o Jazz de Charle Parkie estava sendo enterrado com a influencia do rock, o que não é verdade, muito pelo contrario, o Jazz-rock só veio engrandecer ainda mais o gênero, e isso se reflete em bandas como Soft Machine que moldaram um estilo reverenciando os mestres da matéria como Monk, Miles e Coltrane.
For Calvin (And His Next Two Hitch-Hikers), Já abre de maneira experimental e com um pé na vanguarda misturando Jazz, influencias das big-band americanas dos anos 30, e depois vai para uma espécie de “faça qualquer coisa”, mas soando com coerência. Imaginando que tudo já estava rascunhado teria um maestro ali para apontar que instrumento que entraria ali na hora. Se esse maestro foi mesmo Zappa ele deve ter ficado com umas boas dores no ombro devido aos movimentos contantes dos insturmentos ao longo da canção.
The Grand Wazoo, parece querer abrigar todos os instrumentos possíveis, com complicados e intricados solos soando tudo com muita espontaneidade, como uma big-band jazzística maluca, onde o que vale é o som ant-convencional. É uma faixa experimental que dá liberdade para os instrumentos soltarem voz livremente, atravessando um ao outro fazendo assim com que ouçamos linhas sobrepostas de sax sobre trompete em uma improvisação “free”. Depois retorna ao tema que por si só já seria de se admirar pela sua estrutura complexa.
Cletus Awreetus-Awrightus , Essa faixa intricada empolga e contagia qualquer ouvido, pelos arranjos complexos dos metais mas o que chama mais atenção é o caráter humorístico e o clima de desenho animado que ela porpociona. É um pouco do retorno do espírito experimental de Zappa com uma incorporação grandiosa.
Eat That Question , Aqui o orgão inicial, começa timidamente tocando algumas notas, mas na verdade, o que se segue depois é uma sucessão de improvisos em ritmo mais acelerado que que desanda numa loucura de opereta fusion com espaços para doses regulares de guitarras estridentes em compassos marcados por uma bateria na linha de Jimi Hendrix Experience. Isso tudo junto aos instrumentos de sopro é claro.
Blessed Relief, Foi o destaque do disco, também muito tocado por estudantes de Jazz da famosa escola da Berklee. Aqui ao contrario de toda a loucura “maravilhosa é claro” das outras, há mais respiração, menos correria e abre a mente mais para a criatividade dos teclados de George e Don ponteando uma linha de baixo com uma beleza de perfeição, mas principalmente bom gosto. Uma faixa maravilhosa que fecha assim um disco como poucos.

1.For Calvin (And His Next Two Hitch-Hikers) - 13:20
2.The Grand Wazoo - 6:06
3.Cletus Awreetus-Awrightus - 2:57
4.Eat That Question - 6:42
5.Blessed Relief - 8:00

Um comentário:

  1. Que blog maravilhoso o seu. Continue postando mais e mais música boa!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...