sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Premiata Forneria Marconi - Per un Amico (1972) [Italy]



Lançado em novembro de 1972, apenas nove meses após o primeiro álbum (Storia Di Un Minuto), esse disco é considerado por muitos como eu, o melhor do grupo, que existia desde os meados da década de 60 com o nome “I Quelli”, mas, sem o multinstrumentista Mauro Pagani, que entrou em 71 para mudar o rumo da banda.“Per Un Amico” começa com “Appena Un Po”, que entra lentamente com um órgão e um lindo violão dedilhado recebendo a companhia de uma flauta, notas de cravo e, depois, chegando à um som único de todos os instrumentos. O som fica pesado quando guitarras surgem , abrindo para uma bonita e calma cantoria culminando com uma excelente melodia feita no órgão, que é seguida de uma parte instrumental, contando com solos de flauta. No final, novamente, a bonita cantoria culmina com a melodia feita no órgão. A melodia se repete, só que no sintetizador, no término da faixa.Instrumental, “Generale” é uma agitada música que começa com vibrantes batidas de bateria até a entrada de um estrondoso solo do Moog de Premoli acompanhado de violino e piano. No meio da faixa, aparece uma marchinha junto com flautim, abrindo espaço para mais um solo de sintetizador, que termina quando uma nota grave de órgão é feita. Após alguns dedilhados de bandolim, o Moog retorna para fechar a faixa.A emocionante “Per Un Amico” é iniciada com solos de flauta e piano. Apresenta em toda sua extensão, a excelente atuação de todos os músicos. Destaque para as partes vocais, para Mauro Pagani com um ótimo solo de violino, para Franco Mussida com um ótimo solo de violão acompanhado de bandolim e, para Flavio Premoli, que mais uma vez, encontra espaços perfeitos para o órgão, o piano, curtas notas de mellotron e, o sintetizador, que finaliza a música com uma boa melodia.“Il Banchetto”, talvez a música mais conhecida do álbum, começa com um solo de violão e uma linda cantoria, que mais tarde é acompanhada de baixo e piano. Mauro Pagani faz mais um excelente e curto solo de flauta, que sai de cena para a entrada de um clima espacial criado pelo Moog e pelo violão, contando com rápidas notas de cravo fazendo parecer uma harpa e batidas de bateria. De repente, a música ganha um show à parte de Premoli, primeiro com órgãos, mellotron e sintetizadores, e depois, no piano. Chegando ao fim, a canção volta com todos os instrumentos, em uma passagem perfeita, com destaque para o baixo de Piazza e, a bela cantoria da banda, que faz um coro no final.Um solo de flauta inicia “Geranio”. A faixa possui, novamente, a boa cantoria do grupo e uma parte bem calma, que se torna contagiante após notas crescentes de piano, onde a bateria entra com tudo junto com um solo de cravo e as vozes de todos. A melodia se repete somente no piano, que faz introdução para notas graves de sintetizador com o baixo acompanhando. Essa parte acaba quando o maravilhoso violino de Pagani entra em ação e é interrompido abruptamente pelo som de um gongo. A música recomeça lentamente com a parte cantada e vai ganhando um som pesado com ótimas batidas de bateria, dedilhados de violão e um baixo bravo. Para terminar, pequenas notas de piano seguidas de um maquiavélico solo de Moog e, sons de sinos e campainhas. É, na minha opinião, a faixa mais progressiva do disco.Indico esse álbum à todos, mesmo aqueles que não apreciam rock progressivo, pois, como muitas bandas italianas do gênero, o PFM faz bem aos ouvidos.No dia 20 de dezembro de 1972, ao assistir um show da banda em Roma, Greg Lake (ex-King Crimson e atual ELP), surpreso com o som destes italianos, apresentou-os ao seu amigo Pete Sinfield (letrista do King Crimson). Lake fez a banda assinar com o selo inglês Manticore, o mesmo do ELP. Como o grupo queria conquistar o público inglês e, consequentemente o mercado norte-americano, foi lançado em março de 1973 o álbum “Photos Of Ghosts”, que nada mais era, que todo o disco “Per Un Amico” gravado em inglês, exceto a faixa “Il Banchetto” que permaneceu em italiano, mais “Celebration” versão de “É festa” do primeiro álbum e, uma nova música entitulada “Old Rain” composta por Premoli. Conquistaram os visados mercados, mas, até hoje, muitos norte-americanos e ingleses preferem, assim como eu, o idioma italiano, que além de combinar com o som do grupo, deixa a música ainda mais peculiar.De 1974 até os dias de hoje, o Premiata contou com várias formações, sempre com o guitarrista Franco Mussida à frente da banda. Desde então, o grupo alternou discos bons e regulares, tendo uma fase jazz no final dos anos 70 e início dos 80 e, uma fase pop ao longo dos anos 80. Nos anos 90 voltaram a produzir um bom rock, não digo progressivo, pois, como a maioria das bandas de progressivo dos anos 70, talvez o PFM nunca mais faça discos tão bons quanto os que fizeram até meados dos anos 70, tudo isso progressivamente falando. Quase chegou a vir ao Brasil no início de 2002, mas, por falta de patrocínio, com certeza perdemos uma inesquecível apresentação. Recentemente, durante a turnê de 2002, lançaram em CD e DVD o show “Live In Japan 2002”, que conta com Peter Hammil do Van Der Graaf Generator como vocalista na faixa “Sea Of Memory”.

1.Appena Un Po’ (07:38)
2.Generale (04:13)
3.Per Un Amico (05:20)
4.Il Banchetto (08:34)
5.Geranio (08:04)

Download: http://www.mediafire.com/file/tzomj3z5r2d/premiata%20forneria%20marconi%20PFM%20-%20per%20un%20amico%20(1972).rar

3 comentários:

  1. Fala Lais:
    Estou aqui para agradecer o seu comentário no meu Post do PFM e dizer que o seu blog é realmente muito bom. Parabéns! Precisando da gente estaremos por lá no Seres.
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
  2. Adoro Premiata Forneria Marconi e acho que seria legal se houvesse mais posts com mais albuns... Que bom ter este... Tenho também um blog, mas é de misticismo, filosofia... www.myopera.com/drupen...

    ResponderExcluir
  3. Se alguém ainda tiver interesse na discografia do PFM, seguem dois links, contendo os seguintes álbuns:

    Storia di un minuto (1972)
    Per un amico (1972)
    Photos of Ghost (1973, versão inglesa de Per un amico)
    L'isola di niente (1974)
    The World Became the World (1974, versão inglesa de L'isola di niente)
    Chocolate kings (1975)
    Jet lag (1977)
    Passpartù (1978)
    Suonare suonare (1980)
    Come ti va in riva alla città (1981)
    P.F.M.? P.F.M.! (1984)
    Miss Baker (1987)
    Ulisse (1997)
    Serendipity (2000)
    Dracula (2005)
    Stati Di Immaginazione (2006)
    A.D. 2010 - La buona novella (2010)

    Parte 1 - https://mega.co.nz/#!AckAVLCI!QtVabQ6168GS7-FmCrClL5WQN_12M3KzLo69mjlocQ8 (550Mb)
    Parte 2 - https://mega.co.nz/#!RVcjGZCJ!8xsi5MmwtZPOZeYm9auN1TKPluUsWTW8_sLZn2-Ica0 (477.4 Mb)


    Boa degustação a todos os fãs do Premiata!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...