terça-feira, 19 de maio de 2009

Twenty Sixty Six and Then - Reflections on the Past (1972)



A banda alemã Twenty Sixty Six and Then conseguiu a proeza de lançar, num único disco, um conjunto de canções onde a qualidade, criatividade e capacidade foram a tônica do álbum.
Lançado em 1972, Reflections traz grandes canções (tanto na qualidade quanto na duração), onde os teclados esbanjam vitalidade e criatividade.
primeira faixa é At My Home (7:57), um hard rock com excelente condução dos teclados, flauta ao fundo, tocada pelo convidado Wolfang Schonbrot, e uma guitarra também bem legal. O vocal rouco de Geff Harrison, que apesar de não ter uma excelente voz, acaba não comprometendo. A guitarra lembra bastante Blackmore nos 3 primeiros álbuns do Deep Purple.
Na segunda, chamada Autumn (9:06), o vocal se encaixa bem mais com o andamento lento da música. Novamente o destaque é o teclado, com algumas passagens francamente progressivas. Um ótimo som!!!
A próxima é Butterking (7:17), que começa um pouco estranha, com vocal apenas falado e acompanhamento de uma vigorosa bateria. Na seqüência entra o teclado no melhor estilo Jon Lord. Torna-se um das melhores do disco, inclusive lembrando o grande Frank Zappa nos melhores momentos de Joe's Garage, com aqueles bate papos musicais durante o andamento nada previsível da musica.
A quarta música é a faixa tema - Reflections on the Future (15:48). Apenas pelo tempo pode-se perceber o que vem pela frente: belas passagens, solos de guitarra de extremo bom gosto, enfim, a canção mais complexa do disco.
Na seqüência temos The Way That I Feel Today (11:11), canção também de rara beleza. Também de longo alcance, a faixa traz um andamento mais jazzístico, onde o piano e o baixo se destacam. É a canção mais sofisticada do álbum. A bateria com levada bem quebrada e, em algumas vezes, a flauta a la Ian Anderson nos brinda com um som pra lá de interessante. O vocal carregado de emoção acaba se encaixando perfeitamente na música. A letra colabora com um certo romantismo, principalmente em frases como "How would you feel after she's gone"... Linda canção...
O álbum original se encerra com Today (13:02). Totalmente instrumental, também lembra passagens do Purple do início, na fase de Mandrake Root ou Wring that Neck, com muitas variações em seu andamento e sempre com muito bom gosto. Novamente o destaque são os teclados, super datados da época - uma delícia...
As duas ultimas faixas são os bônus incluídos nesta edição e que também não fazem por menos. A primeira é I Wanna Stay (3:59) é um hard rock bem interessante, com andamento mais cadenciado. Para finalizar, Time Can't Take Away (4:30), que encerra o disco em alto astral, pois se trata de uma bela balada, com um backing vocal de fazer inveja a qualquer um, além de um refrão de arrepiar. Realmente um grand finale para uma obra prima.

1.At My Home - 7:57
2.Autumn - 9:06
3.Butterking - 7:17
4.Reflections on the Future - 15:48
5.The Way That I Feel Today - 11:11
6.Today - 13:02
7.I Wanna Stay - 3:59
8.Time Can't Take Away - 4:30

Download:http://rapidshare.com/files/80129943/Twenty_Sixty_Six_and_Then_-_Reflections_on_the_Future.rar.html

Um comentário:

  1. Esse texto de apresentação do disco tem dono: é de autoria de Wagner Xavier e está contido no livro Rock Raro, edição de 2010. O texto também se encontra nesta página:http://www.screamyell.com.br/secoes/twentysixtysix.htm
    A Cesar o que é de Cesar...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...