terça-feira, 19 de maio de 2009

Led Zeppelin - Physical Graffiti (1975) [U.K]



Realmente no início, Led Zeppelin era puro hard rock setentista, mas sempre envolveram elementos diferentes em suas músicas, como folk, jazz, blues, reggae e funk e criaram um som unico. E a banda atinge o auge de criatividade e refinamento musical no maravilhoso Physical Graffiti que traz elementos do melhor que o rock progressivo tem.
O disco abre com a balançante "Custard Pie" com a guitarra de Jimmy Page fazendo miséria e a cozinha mantendo o ritmo e o peso da música com grande habilidade.
Logo após vem a cacetada de "The Rover", uma das melhores canções que o Led Zeppelin já fez. Melodia, mudança de andamento, peso e Robert Plant arrepiando no refrão. Obrigatória.
E chega-se na terceira canção, progressiva até a medula, Estou falando da maravilhosa "In My Time Of Dying". 11 minutos de pura viagem sonora, andamentos pesados e tensos, momentos quase minimalistas e a habitual quebradeira de Jonh Bonham. Matadora.
"Houses of the Holy" vem à seguir. Começa com um cativante riff the guitarra e segue a linha balançante de "Custard Pie". O andamento da canção permanece o mesmo até o final. Rock básico.
Temos então a quinta faixa do primeiro disco. "Trampled Underfoot". Funk rock, quebrado, andamento acelerado, solos matadores no fundo da música. É uma canção de difícil assimilação na primeira audição, mas depois de escutá-la com atenção, a melodia não sai da cabeça. Sensacional.
Quando já se está incrédulo com o que se escutou, começam aqueles riffs de guitarra e baixo da inconfundível e hipnótica Kashmir.
De cara o Led Zeppelin nos atira "In The Light". Essa segue a mesma linha hipnótica de "Kashmir", mas é mais suave, lisérgica. Robert Plant canta de maneira preguiçosa e até melancolica até chegar ao refrão. Excelente música.
Logo após, mantendo a linha viajante, entra o folk instrumental Bron-Yr-Aur. Uma canção linda. Apenas o violão de Jimmy Page e você se sentindo como se estivesse caminhando por um daqueles campos bucólicos descritos pelos poetas arcadistas.
"Down By The Seaside". Inicia como balada para logo após cair numa pauleira melódica e balançante até voltar à suavidade do início. Excelente canção para se escutar num fim de tarde à beira-mar.
E o que dizer então da próxima música, "Ten Years Gone". Nem irei comentar muito, para deixar o pessoal que ainda não conhece curioso para ir atrás dessa canção matadora. Peso, mudança de andamento, levada, hipnótica, lisergia, enfim tudo que o Led Zeppelin já fez de bom elevado à enésima potência.
A partir daí o Led nos remete a pauleira dos primórdios com "Night Flight" e "Sick Again" indo ainda ao funk ("The Wanton Song") boogie rock (Boogie With Stu" com participação do Ian Stewart, pianista dos Stones) e "Black Country Woman" uma daquelas canções "esquisitas" do Led Zeppelin e sem uma definição exata... talvez dê pra dizer que é folk.
Então é isso, Physical Graffiti talvez não seja de todo progressivo (levando à definição ao pé da letra), mas com certeza uma obra prima que merece reconhecimento e que agrada em cheio aos amantes desse estilo.

1.Custard Pie
2.The Rover
3.In My Time of Dying
4.Houses of the Holy
5.Trampled Under Foot
6.Kashmir
7.In the Light
8.Bron-Yr-Aur
9.Down by the Seaside
10.Ten Years Gone
11.Night Flight
12.Wanton Song
13.Boogie With Stu
14.Black Country Woman
15.Sick Again

Download: http://rapidshare.com/files/50997567/physical_graffiti.rar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...